Chá é Poesia – Texto de Helaine Batista @helainebatista

Texto de Helaine Batista @helainebatista

Estamos em novembro, nos aproximando das resoluções de fim de ano. Que tal prometer para si mesmo um cuidado TODO especial?

Esta é a época em que chegamos ao final de um ciclo. Época de possíveis (ou impossíveis) novos planejamentos e com eles, mudança de hábitos. São idéias para novas carreiras, viagens, dietas, exercícios, círculos de amizades, tanta coisa! Por que não um Jardim de Ervas Aromáticas? Verdade seja dita: um planejamento desses é orgulho certo para qualquer aprendiz de jardineiro.

Por incrível que pareça, chás e infusões podem ser bem saborosos!

No entanto, caso você não seja grande entusiasta do contato direto com a terra, somente o preparo e o consumo de infusões já pode ser uma grande conquista para 2017. Este será o nosso primeiro passo como Matéria. Logo, primeiro precisamos aprender um pouco mais sobre essas possibilidades.

Desfazendo o mito

Primeiro de tudo. Chá não é só para quem está doente: existe um mundo de flores e ervas que garantem infusões deliciosas. Mas, espera… Chá ou infusão?

Sim, existe uma diferença. Os chás oficiais são apenas aqueles derivados da folha “Camelliasinensis” (nome científico). São eles: chá branco, preto, verde e oolong (situado entre o chá verde e o chá preto em termo de oxidação). Atenção, todos eles contém cafeína. Existem, ainda, os “Blends”, que são as famosas misturas inglesas com frutas. Geralmente, veremos esta mistura sendo feita com chá preto.

Sendo assim, praticamente tudo que estamos acostumados a chamar de chá, é, na realidade, infusão. As infusões são realizadas com as chamadas ervas medicinais ou aromáticas. Vale a pena dizer que é bem melhor você ter as folhas, frutos ou raízes em mãos para prepará-las. Os saquinhos feitos de papel-filtro surgiram em 1904, com Thomas Sullivan, um comerciante de Nova York que inventou um saquinho de seda para enviar amostras de chá. Somos acostumados com sua praticidade, no entanto, perde-se sabor. As ervas mais comuns são:

ervasaromaticas-quadro

Mudança de Hábito

Apesar de ter o princípio curativo, não precisamos deixar para consumir infusões apenas quando há um desequilíbrio em nossa saúde. Assim, como tornamos o café sinônimo da hora do intervalo, das conversas, das reuniões, de momentos de prazer e comunhão; assim pode ser o chá ou a infusão. Eles têm o poder de revigorar a alma e ainda por cima acalmar os nervos e promover a saúde. É mais uma questão de hábito. Servi-los quente ou frio, não irá alterar as suas propriedades. Como dissemos, trata-se de uma questão de conforto. Muitas pessoas reservam o momento do chá para um ritual, assim como os ingleses e o famoso chá das cinco.

5

Todas as ervas aromáticas são medicinais, embora nem todas as ervas medicinais sejam aromáticas e saborosas.

Uma questão cultural

Segundo Carla Saueressig, especialista e proprietária de A Loja do Chá, em São Paulo, moradores da Ilha de Icaria, na Grécia plantam ervas como sálvia, hortelã e alecrim para preparar infusões que tomam no dia a dia. No interior da Bahia, manjericão não é conhecido como tempero, mas como chá. Tem o de flores e folhas de catingueira, que lembra um suave perfume de jasmim. O de flores de umbu lembra um pouco o chá de flor de sabugueiro, com ligeiro perfume de mel. “Aproveitar cascas secas de frutas também é boa ideia – algumas espécies quando secas ficam melhor para chás, caso da casca de laranja. Podemos ainda colher folhas de pitanga e de goiaba, que também fazem chás perfumados, lembrando as frutas. Temos também as flores de jasmim, de murta, de laranjeira, as tagetes, os cravos” – Ensina Carla em entrevista ao Jornal Estadão.

Dicas para preparar chás e infusões em casa:

Para preparar infusões de ervas, tenha um litro de água quase fervente, desligue o fogo, coloque um punhado de ervas, deixe a chaleira tampada por 10 minutos e está pronto. Se usar especiarias ou frutos, é bom ferver por 5 minutos antes do repouso.

*Com a infusão pronta, use-a adoçada ou não para preparar ponches, gelatinas, picolés, drinques, sorbets ou para cozinhar frutas. Se usar frutas, escolha aquelas que não se desfazem para não turvar a bebida. Maçãs, abacaxis e cascas de laranja são boas escolhas.

A especialista indica chás verdes (que são mais digestivos) para quem consumiu carne vermelha ou pratos gordurosos. Misturas com ervas, flores e frutos são os recomendados para quem fez refeições à base de aves. Depois do peixe, o melhor é um blend com limão, que suaviza o paladar.

Para chá da tarde, chás combinam com biscoitinhos, petit-fours e bolos com especiarias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s